Dia Nacional da Mata Atlântica

Dia da Mata Atlantica

A Mata Atlântica foi reconhecida como Patrimônio Nacional em 1988 através da Constituição Federal mas somente em 1999, através de um decreto presidencial, foi instituído o dia 27 de maio como o “Dia Nacional da Mata Atlântica”.

Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, o bioma original ocupava cerca de 1,3 milhão de km².  Atualmente, a área está reduzida a 7% e encontra-se de forma fragmentada.

Diversas empresas, ONG’s e outras iniciativas têm realizado trabalhos em prol da conservação. Trazemos no post de hoje o documento “Visão da Biodiversidade da Ecorregião Serra do Mar” que foi disponibilizado em 2011 pela WWF. Esta publicação é um estudo técnico sobre a Mata Atlântica que reúne recomendações e orientações para a conservação de áreas no bioma.

Veja aqui.

Dia Mundial da Tartaruga

Desde o ano 2000, o dia 23 de maio é dedicado ao Dia Mundial das Tartarugas. A iniciativa foi realizada por uma organização sem fins lucrativos norte-americana, a American Tortoise Rescue, afim de chamar a atenção da sociedade para as questões que envolvem tartarugas, cágados e jabutis, bem como difundir o conhecimento a respeito desses animais.

Para participar deste dia, nós do Encontro da Amazônia, preparamos abaixo uma ficha sobre o maior quelônio da América do Sul: a Tartaruga-da-amazônia!

tartaruga-da-amazonia

 

———

Você trabalha ou estuda este animal? Conheça nosso projeto da enciclopédia virtual. Clique aqui e saiba mais.

Dia Mundial da Biodiversidade

22 de maio - dia da biodiversidade

O dia 22 de maio é o Dia Mundial da Biodiversidade. Esta data foi criada pela ONU com o intuito de desenvolver a compreensão e a consciência sobre as questões da biodiversidade.

A Biodiversidade é a variedade de formas de vida na Terra. O Brasil detém, sozinho, cerca de 20% da biodiversidade mundial, sendo o país mais megadiverso do mundo. Essa riqueza se deve em grande parte à Amazônia, que abriga mais de um terço de todas as espécies vivas do planeta.

Apesar disso, somos o país que mais desmata. É de extrema importância, portanto, que se criem políticas que visem à conservação da biodiversidade. Ainda mais fundamental é a formação de uma consciência ambiental coletiva, em que as pessoas se vejam como sujeitos de mudança, inseridas em seu meio, mesmo nas metrópoles. Afinal de contas, tudo o que comemos, vestimos e utilizamos no dia-a-dia provém da natureza, e depende de seu funcionamento.

 

Panorama da Biodiversidade Global 3

O Panorama da Biodiversidade Global 3 é a terceira edição do relatório a respeito de metas (alcançadas e não alcançadas) para atingir a redução na taxa de perda da Biodiversidade. Esse tratado foi feito em 2002, por líderes mundiais, com meta para 2010 (o ano da Biodiversidade).

Este relatório reúne “fatos e números preocupantes”, segundo Achim Steiner, Sub-Secretário Geral das Nações Unidas e Diretor Executivo do PNUMA. Para BAN Ki-moon, Secretário Geral da ONU, “esta terceira edição do Panorama da Biodiversidade Global conclui que o objetivo [em atingir uma redução significativa na taxa de perda de biodiversidade até 2010] não foi cumprido”.

Acesse aqui a edição disponibilizada pelo Ministério do Meio Ambiente.

 

Texto: Matheus Suliman e Luiz H. Tobias | Arte: Thales Jardim

Curitiba ganha Centro Cultural da Amazônia – Matéria do Jornal o Metro

Matéria de hoje jornal o Metro Curitiba

Matéria de hoje jornal o Metro Curitiba

 

Meio Ambiente. Espaço quer incentivar estudos e pesquisas sobre a região por meio de bibliotecas, cursos, eventos e viagens.

Com a proposta de tornar mais acessíveis as informações sobre a Amazônia, incentivando estudos e pesquisas sobre a região, será inaugurado oficialmente em 10 de junho o Centro Cultural Encontro da Amazônia.

A ideia do espaço nasceu da percepção de que os brasileiros pouco sabem sobre o bioma. “Há uma lacuna aberta quanto ao conhecimento da Amazônia, que ocupa 61% do território nacional. Só conhecendo é que vamos poder preservar”, avalia Edicleia Monteiro, fundadora do centro.

O centro terá atividades para iniciantes e especialistas. O projeto quer colocar a informação para todo mundo deixar a linguagem popular e menos técnica. Hoje, já poucos dados da Amazônia em português. Muitos livros são publicados no estrangeiro conta Edicleia Monteiro.

Repórter – Camila Castro – link online METRO CURITIBA 

 

Uacari-branco

O Instituto Mamirauá mantém a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (veja aqui), que foi criado para proteger o macaco Uacari-branco. Conheça este animal!

Uacari - Macaco- ok

 

———

Você trabalha ou estuda este animal? Conheça nosso projeto da enciclopédia virtual. Clique aqui e saiba mais.

 

 

 

 

 

 

 

Jabuti-tinga

A Universidade Federal do Acre apresentou semanas atrás um fóssil de Jabuti gigante, com cerca de 8 milhões de anos (veja a notícia). E nós, do Encontro da Amazônia, fizemos uma ficha de um parente atual: o Jabuti-tinga. Veja!

 

jabuti

 

———

Você trabalha ou estuda este animal? Conheça nosso projeto da enciclopédia virtual. Clique aqui e saiba mais.