Oficina de Pintura Corporal e Simbologia resgata a cultura dos Guaranis

O Encontro da Amazônia vai trazer o índio Werá, também conhecido como Felipe Rodrigues Werner, da etnia Guarani, para ministrar a oficina de Pintura Corporal e Simbologia no Evento Cultura Indígena, que acontece no dia 18 de Abril, a partir das 14h. Formado em Desenho Gráfico, pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), o indígena traz todas suas referências para compor o workshop. “O objetivo da oficina é demonstrar o valor ritualístico da pintura corporal, para a cultura Guarani, tornando-se um agente social capaz de agir sobre o indivíduo, causando transformação ou conferindo um status social, poderes na batalha, fatura na colheita e na caça”.

A oficina será dividida em dois momentos. Na parte teórica, serão explicados os conceitos dos símbolos, das pinturas, dos pigmentos, do sentido de se pintar o corpo, da espiritualidade e dos aspectos sociais. A parte prática será voltada a execução das pinturas nos participantes, para que possam ter a experiência da transformação, através do conhecimento adquirido no primeiro momento do workshop, assim construindo o valor espiritual da arte dos símbolos.

Segundo o índio Werá, “o trabalho será voltado para a transmissão da informação acerca da pintura corporal e sua importância para o povo Guarani. Um resgate ao valor da pintura no corpo como parte de um comportamento ancestral na cultura humana, que se reflete em diversos segmentos desta cultura”.  E completa: “esperamos a ideia do respeito à pintura corporal e o entendimento sejam construídos na consciência dos participantes e que os mesmos venham a ver com olhos mais sensíveis a prática da pintura do povo Guarani”.

A pintura corporal e a simbologia são linguagens expressivas de um povo e refletem na construção da própria identidade cultural.  Para o índio, o evento é uma forma de ampliar a visão cultural da sociedade atual. “Ações assim são extremamente necessárias para o desenvolvimento de uma sociedade mais aberta a diversidade. O Encontro da Amazônia tem um papel importante na construção do conhecimento em relação as pessoas que ainda não tiveram um contato com culturas nativas brasileiras. O evento trará esta experiência dentro de um ambiente propício as pessoas urbanas, levando a riqueza e o conhecimento de diversas etnias, transformando através do conhecimento o preconceito em respeito, assim tornando-se importante, tanto a curto quanto a longo prazo”.

Além do Evento Cultural Indígena, o Encontro da Amazônia promove nos dias 16 e 17 de Abril uma programação educacional diferenciada, em comemoração ao dia do Índio. Através da mesa redonda e oficinas para escolas, o projeto visa abordar todas as culturas indígenas e principalmente a riqueza das maiores etnias do mundo, responsável pela construção da identidade de várias nações.

Confira um pouco do trabalho do índio Felipe:

02 03 04 05