Salas de eventos em Curitiba

Salas de eventos em Curitiba são encontradas no espaço Encontro da Amazônia, uma empresa inaugurada para o público empresarial no ano 2012.

O empreendimento desde sua fundação foi ampliando seus serviços e produtos e atualmente conta com um complexo de 8 salas que comportam de 8 a 250 pessoas.

Complexo com 2 imóveis na Rua Nilo Peçanha que possuem 7 salas de eventos e 1 tenda para atividades externas

FACHADA DO ESPAÇO DE EVENTOS EM CURITIBA NO ENCONTRO DA AMAZÔNIA EM 2018

FACHADA FILIAL DO ESPAÇO DE EVENTOS EM CURITIBA ENCONTRO DA AMAZÔNIA

As salas são nomeadas com os principais rios da Amazônia: Rio Amazonas, Rio Japurá, Rio Xingu, Rio Purus, Rio Ucayali, Rio Madeira, Rio Tapajós, Rio Javari.

As salas são nomeadas com os principais rios da Amazônia: Rio Amazonas, Rio Japurá, Rio Xingu, Rio Purus, Rio Ucayali, Rio Madeira, Rio Tapajós, Rio Javari.

O diferencial do espaço de eventos é o jardim exuberante, é um refúgio dentro da cidade. Os eventos empresariais contam com uma infraestrutura completa de sistema áudio, vídeo e móveis.

Além de tudo o espaço foi projetado para receber o evento com qualidade pois todas as salas contam com vista para o jardim e entrada direta da luz natural.

Os palestrantes e apresentadores podem utilizar dos palcos, pulpito e quadro branco.

As salas são nomeadas com os principais rios da Amazônia: Rio Amazonas, Rio Japurá, Rio Xingu, Rio Purus, Rio Ucayali, Rio Madeira, Rio Tapajós, Rio Javari.

Veja aqui todas as salas de eventos em Curitiba existentes no Encontro da Amazônia. https://www.encontroamazonia.com.br/site/salas-empresariais/

O diferencial do espaço de eventos é o jardim exuberante, é um refúgio dentro da cidade. Os eventos empresariais contam com uma infraestrutura completa de sistema áudio, vídeo e móveis.

VISTA INTERNA DA TENDA PARA EVENTOS RIO JAVARI NO ENCONTRO DA AMAZÔNIA

 

Além de tudo o espaço foi projetado para receber o evento com qualidade pois todas as salas contam com vista para o jardim e entrada direta da luz natural.

Os palestrantes e apresentadores podem utilizar dos palcos, pulpito e quadro branco.

Durante esses anos de existência o Encontro da Amazônia já recebeu vários workshops, palestras, reuniões, cursos de pós graduação, confraternizações, cerimônia de formatura, coquetéis empresariais, lançamento de produtos uma infinidade de eventos focados ao mercado de empresas e escolas.

JARDIM DO ESPAÇO DE EVENTOS EM CURITIBA ENCONTRO DA AMAZÔNIA

 

Durante esses anos de existência o Encontro da Amazônia já recebeu vários tipos de atividades em suas salas de eventos como: workshops, palestras, reuniões, cursos de pós graduação, confraternizações, cerimônia de formatura, coquetéis empresariais, lançamento de produtos uma infinidade de eventos focados ao mercado de empresas e escolas.

Uma conquista realizada no ano de 2018 foi a parceria com o SEBRAE PR no qual o espaço conta com um ponto de atendimento ao empreendedor, no qual o pequeno e micro empreendedor possa receber a formação do SEBRAE dentro do espaço do Encontro da Amazônia. As salas de eventos são utilizadas para oficinas e cursos como: Planejamento financeiro, Marketing Digital, Visual de Loja, Técnicas de Vendas e o EMPRETEC.

Em 2018 o Encontro da Amazônia recebeu o selo de qualidade de turismo do Paraná, ficando em terceiro lugar em todo estado do Paraná no quisito “ESPAÇO DE EVENTOS”.

O Selo de Qualidade Turismo do Paraná analisou o Encontro da Amazônia em vários quesitos:

  1. Modelo de Excelência em Gestão, Turista Oculto e Questionário de Análise da Qualidade;
  2. Plano de Melhoria e Inovação, customizado, construído a partir dos diagnósticos e realizado no período médio de quatro meses. Nesse período o empresariado foi assistido por consultores técnicos do Sebrae PR.
  3. Diagnósticos (Modelo de Excelência em Gestão, Turista Oculto e Questionário de Análise da Qualidade) – Repetição da ação realizada no início do processo, objetivando mensurar a variação da maturidade de gestão e qualidade na prestação de serviços turísticos. Nesta etapa o Questionário de Análise de Qualidade e o MEG foram aplicados pelo Instituto de Tecnologia do Paraná – TECPAR;

O projeto Selo de Qualidade no Turismo do Paraná é executado pelo Comitê Gestor formado pelas instituições:
• ABAV/PR – Associação Brasileira de Agências de Viagens – Paraná
• ABECOC/PR – Associação Brasileira de Empresas Organizadoras de Eventos – Paraná
• ABIH/PR – Associação Brasileira de Indústria de Hotéis – Paraná
• ABRASEL/PR – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Paraná
• Sistema FECOMÉRCIO PR – SESC / SENAC
• PARANÁ CONVENTIONS
• PARANÁ TURISMO
• SEBRAE/PR

Saiba mais sobre o Selo de Turismo do Paraná: http://www.sebraepr.com.br/PortalSebrae/sebraeaz/Selo-de-Qualidade-no-Turismo-do-Paran%C3%A1

 

Venha conhecer também o espaço de eventos Encontro da Amazônia.

Fone: (41) 3014-0030

E-mail: eventos@encontroamazonia.com.br

Endereço: Rua Nilo Peçanha, 1907

 

Tenda Eventos Rio Javari

O Encontro da Amazônia traz para os meses de novembro e dezembro de 2016 a tenda Rio Javari.

Os eventos serão mais integrados com o jardim da Matriz que está localizada na Rua Nilo Peçanha,1907 na cidade de Curitiba e do Paraná.

Um ambiente de 200m² que comportam eventos com até 200 pessoas.

Confira esse espaço e faça sua reserva AQUI!  https://goo.gl/lrcuq1.

O Encontro da Amazônia possui uma variedade de espaços e também promove eventos escolares a respeito de Meio Ambiente.

Atualmente o Encontro da Amazônia conta com 7 salas de treinamentos e auditório, 2 salas para escritórios temporários e agora uma tenda para eventos externos. Conheça o melhor centro de eventos corporativos na cidade de Curitiba.

O Encontro da Amazônia busca a excelência do espaço valorizando o jardim de plantas tropicais localizada no centro da cidade.

A tenda Rio Javari vai surpreender os interessados para os eventos de final de ano.

Sejam sempre bem vindo ao Encontro da Amazônia.

Mais informações: eventos@encontroamazonia.com.br ou pelo telefone 41-3014-0030

1-rio-javari-tenda-img_8873

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030

3-rio-javari-tenda-img_8864

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030

5-rio-javari-tenda-img_8852

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030

7-rio-javari-tenda-img_8979

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030

9-rio-javari-tenda-img_8994

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030

11-rio-javari-tenda-img_9135

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030

13-rio-javari-tenda-img_9200

Tenda Rio Javari – Encontro da Amazônia – Fone: 41.3014.0030





Personalidade: Serginho Laus

supertrunfo-serginho_laus

O esportista Serginho Laus participa do evento “Expedição da Amazônia”, com o objetivo de trazer um pouco da maior floresta tropical do mundo para Curitiba. A atividade faz parte do projeto Educacional e Cultural, promovido pelo espaço curitibano Encontro da Amazônia, nos dias 23 e 24 de setembro, das 19h às 22h.

Com o workshop “Turismo de Esporte na Amazônia”, o surfista vai dividir suas experiências e sua visão sobre a Amazônia, destacando as atrações, quando se diz respeito a cultura e turismo de esporte. Como os visitantes enxergam a região e como ela vem sendo tratada.

Percussor do surf na Pororoca, Serginho Laus é ambientalista, surfista profissional, produtor e jornalista. Em 2005 e 2009, registrou se nome no Guinness Book, quebrando o recorde mundial de surf na Pororoca, no qual no último ano quebrou seu próprio, com a marca de 11.8 km, no rio Araguari, no Amapá.

Na bagagem carrega explorações nas Pororocas do Brasil, França, Inglaterra, China, Indonésia, Alaska e Índia. Sua meta é ainda é surfar nas águas da Malasya e Canadá, assim tornando-se o primeiro surfista no mundo a encarar as principais ondas de marés do mundo.

Seu espirito aventureiro e explorador reuniu outros profissionais com o mesmo interesse. A equipe “Surfando na Selva” coordena ações ordenadas nas Pororocas do brasileira e do mundo, difundindo a consciência ecológica e organizando expedições com grupos de surfistas, turistas, produtoras e equipes de jornalismo para conhecer o famoso “Tsunami Amazônico”.

Confira um pouco das aventuras de Serginho Laus:

Para participar do workshop ministrado por Serginho Laus, no dia 24 de setembro, às 19h, na sede do espaço Encontro da Amazônia, na Rua Nilo Peçanha, 1907, basta fazer sua inscrição por aqui.

 

Texto: Marcos Dias

Arte: Paula Ariana Calory

Bumba-meu-boi: a história por trás das cores e dos paetês

Presente nas festas tradicionais de norte a sul do país, o bumba-meu-boi carrega influências indígenas, africanas e europeias. Segundo pesquisadores, o festejo teve origem no Nordeste no século XVII, no período do Ciclo do Gado, época em que o boi tinha grande relevância simbólica e econômica.

Apresentação do Boi Caprichoso na segunda noite do Festival Folclórico de Parintins 2015 Foto: Patrícia Fontoura /Site das Rádios

Apresentação do Boi Caprichoso no Festival Folclórico de Parintins, em 2015 Foto: Patrícia Fontoura /Site das Rádios

Em cada parte do país a história do boi é contada de diversas formas. O ponto em comum em todas as histórias é o casal de escravo Catirina e Pai Francisco. Segundo o que contam as histórias, a jovem Catirina grávida deseja comer a língua do boi mais lindo do pasto e pede para o marido, Chico, providenciar a iguaria. Desesperado, o escravo rouba um dos animais de seu senhor. Em algumas partes do Brasil, o boi morre e é trazido de novo a vida. Já me outras, o boi nem chegar a ser sacrificado.

Boi de Mamão do Mandicuera Foto: Marcos Solivan (UFPR)

Boi de Mamão do Mandicuera Foto: Marcos Solivan (UFPR)

A festa é tradicionalmente realizada nos meses de junho e julho, no período dos festejos juninos, mas em alguns estados podem ser realizados em outros períodos do ano. Através das músicas tocadas com instrumentos de percussão e de cordas, a história do boi é contada e reúne diversos estilos brasileiros, como as toadas, repente, aboios, canções pastoris e cantigas.

Festa de São João em São Luís, no Maranhão. Foto: Governo do Estado do Maranhão

Festa de São João em São Luís, no Maranhão. Foto: Governo do Estado do Maranhão

Bumba-meu-boi no São João em São Luís, no Maranhão Foto: Governo do Estado do Maranhão

Bumba-meu-boi no São João em São Luís, no Maranhão Foto: Governo do Estado do Maranhão

 

 

 

 

 

 

 

Na dança, as influências vêm das danças indígenas, portuguesas e espanholas. Os passos são marcados pelas batidas dos instrumentos e os ritmos podem ser entoados ao som das matracas, maracá, pandeirão, tambor de onça, tamborinho, zabumba e tambor de fogo.

Devoção e fé no Largo de São Pedro, em São Luís, no Maranhão. Foto: Karlos Geromy, Governo do Estado do Maranhão

Devoção e fé no Largo de São Pedro, em São Luís, no Maranhão. Foto: Karlos Geromy, Governo do Estado do Maranhão

Alguns contadores falam que o nome bumba-meu-boi tem relação com a zabumba – tambor utilizado na dança -, oriundo da expressão “zabumba meu boi”. Por outro lado, outros acreditam que o significado vem do verbo bumbar – ação de bater com força -, que mencionado como “bumba” teria o sentido de uma exclamação como: “Bate, meu boi! Bate Chifra, meu boi!”.

Boi-bumbá Garantido, vencedor do Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas. Foto: Governo do Estado do Amazonas

Boi-bumbá Garantido, vencedor do 50 Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas. Foto: Governo do Estado do Amazonas

De lá para cá, o importante é ver a conservação das tradições culturais, como o bumba-meu-boi, que atualmente possui diversos nomes em cada estado, como o Boi-Bumbá, no Amazonas e no Pará; Bumba-meu-boi, no Maranhão; Boi Calemba, no Rio Grande do Norte; Cavalo-Marinho, na Paraíba; Bumba de reis ou Reis de boi, no Espírito Santo; Boi Pintadinho, no Rio de Janeiro; Boi de mamão, no Paraná e em Santa Catarina e boizinho no Rio Grande do Sul.

 

Texto: Marcos Dias

Turismo

turismo

O Encontro da Amazônia oferece um momento de descoberta. Conhecer a Amazônia é enriquecer-se de cores, cheiros, sabores e histórias. Propostas de viagens em vários estilos e roteiros nacionais e internacionais, para famílias, casais, profissionais e universitários. Alternativas como ecoturismo, viagens empresariais e pacotes turísticos são indicadas e orientadas conforme o perfil de cada viajante ou grupo. Uma viagem para quem procura atendimento diferenciado e personalizado.